Marketing
26/05/2021

Planejamento de marketing para empresas de tecnologia

Para elaborar um planejamento de marketing efetivo, é necessário analisar uma série de fatores, como os problemas e os objetivos da empresa. 

Recentemente, disponibilizamos um material detalhado sobre planejamento de marketing para empresas de tecnologia. 

Esse público não foi escolhido ao acaso. Empresas de tecnologia desenvolvem soluções para todos os setores da economia, que facilitam muito a rotina de seus clientes – outras empresas que usam essas soluções.

Pode ser para gestão de pessoas, para controle de materiais, para atendimento ao cliente. Enfim… As possibilidades são praticamente ilimitadas. 

Mas além do segmento, o que mais essas empresas têm em comum?

As entregas intangíveis.

E é isso que torna um planejamento de marketing fundamental para a orientar a comunicação dessas empresas com os clientes, alinhando posicionamento, discurso e tom de voz, para agregar tangibilidade aos produtos e serviços que comercializam.

Entregas de empresas de tecnologia

Comprar ou contratar um software, aplicativo ou sistema (ou pagar pelo direito de uso) é bem diferente de comprar peças para repor o estoque, simplesmente porque essas soluções não chegam numa caixinha, endereçada ao dono da empresa. 

Esses produtos são intangíveis. Não dá pra pegar na mão, checar o peso ou escolher a cor. E isso, muitas vezes, dificulta a venda.

Esse é apenas um dos fatores que justifica o desenvolvimento e a implantação de um planejamento de marketing, para evidenciar, no discurso de quem está vendendo, o que o cliente está realmente recebendo quando recorre a um software de gestão, por exemplo.

Contudo, nenhuma estratégia de marketing, por mais bem elaborada que seja, trará resultados efetivos se, antes da elaboração do plano, não forem identificados alguns pontos relacionados ao negócio.

Antes do planejamento de marketing

Um planejamento de marketing eficiente é aquele que leva em consideração as características do negócio para o qual ele foi elaborado.

Mas isso parece óbvio!? E é… Só que é bastante comum o óbvio ser deixado de lado. 

Na ânsia de obter resultados, parte-se para a ação sem ter definidas questões essenciais. Confira abaixo!

  • persona: é uma versão mais detalhada do público-alvo; descreve as pessoas interessadas no produto ou serviço, mas vai além de gênero, idade e formação, por exemplo; ou seja, o nível de assertividade ao comunicar sua marca para essas pessoas é bem maior.
  • jornada: inclui formas de abordar e atrair as personas, transformando-as em clientes; a jornada começa com aprendizado e descoberta, passa pelo reconhecimento do problema e pela possibilidade de uma solução, e termina com a decisão de compra;
GAT cam Post blog
  • funil de vendas: trata-se do processo comercial da empresa; nem sempre a pessoa que já identificou um problema e considerou seu produto ou serviço como solução está pronta para comprar; por isso é importante identificar em que momento de compra ela está (que pode ou não coincidir com as fases da jornada de compra) e mensurar o percentual de pessoas que chegam até você e se tornam clientes.
  • proposta de valor: é o que você realmente entrega para quem adquire seu produto ou serviço; é comum o time comercial tentar fazer uma venda usando as funcionalidades do produto ou serviço em vez de traduzir isso em benefícios para o cliente.
GAT cam Post blog 3

Aí, sem as informações básicas, são formuladas estratégias que não alcançam as personas, que não levam em conta as etapas da jornada de compra ou do funil de venda e, muito menos, comunicam uma proposta de valor coerente em todos os canais.

Ao final do processo, resta lamentar-se pelo investimento desperdiçado, porque as estratégias empregadas não resolvem os problemas da empresa, não possibilitam superar os desafios e nem visam atender seus objetivos – elementos que, aliás, também devem ser considerados antes do planejamento de marketing.

GAT cam Post blog 2

Agora você deve estar entendendo porque tantas ações de comunicação, visando aumentar sua base de clientes ou seu volume de vendas, não surtiram efeito. Elas foram direcionadas para pessoas ou segmentos que não representam as personas do seu negócio. E aí não tem como dar resultados.

Planejamento de marketing é mais do que post em mídias sociais

Até aqui já demonstramos que estabelecer uma comunicação eficiente entre sua marca e seus clientes vai muito além de postar fotos e conteúdos aleatórios nas suas redes sociais.

Aliás, as redes sociais, para quem espera resultados positivos, são canais bastante complexos, que exigem estratégias muito específicas.

Isso explica porque, antes de iniciar um planejamento de marketing, devem ser definidos persona, jornada, funil de vendas e proposta de valor, bem como respondidas as perguntas sobre problemas, desafios e objetivos do negócio.

Afinal, são essas informações que servirão de base para pensar, estrategicamente, os conteúdos a serem produzidos, onde serão divulgados, para que público serão direcionados.

Com isso, a empresa otimiza o investimento em comunicação e potencializa os resultados, pois com um planejamento de marketing desenvolvido sobre uma base sólida, as campanhas e os materiais vão chegar nas pessoas certas, com conteúdos adequados à etapa da jornada em que cada uma se encontra.

Ou seja, ao elaborar esse plano, define-se como resolver os problemas, superar os desafios e chegar aos objetivos em menos tempo e com o menor investimento possível.

O poder da estratégia

Na prática, a estratégia é o ‘como’ do processo. Exemplificando, seria algo mais ou menos assim:

“se o meu objetivo é chegar até um rio para beber água, a estratégia vai me dizer como eu chego até lá. posso ir pela ponte, atravessando a mata ou pegando uma trilha. meu alvo é chegar no rio, a estratégia é o caminho que eu escolho pra chegar lá.” (Andersson Silva, Zucchi Consultoria)

E é o planejamento de marketing que vai dizer qual caminho é o mais adequado para os objetivos traçados.

Antes de concluir, mais uma observação sobre o desenvolvimento e a implantação de um plano de marketing: as definições valem tanto da porta para fora, quanto – e principalmente – da porta para dentro.

Nem todos os colaboradores precisam participar da construção do plano. Mas uma vez concluído e aprovado, todos devem ser comunicados acerca dos objetivos e das estratégias traçadas para alcançá-los. 

O planejamento de marketing não compete apenas ao setor de marketing, ou à direção, ou a outro departamento qualquer. Tudo aquilo que for postado em redes sociais ou divulgado em qualquer outro canal de comunicação deve ser verdade dentro da empresa.

Isso porque, não há estratégia que funcione se as pessoas não se dispuserem a colocá-la em prática.

O plano de marketing da Gatilho para empresas de tecnologia

Neste texto apresentamos um resumo do conteúdo disponibilizado recentemente no nosso site. O Plano de marketing para empresas de tecnologia descreve, em detalhes, o passo a passo da Gatilho para entender as suas necessidades e propor estratégias assertivas para melhorar o engajamento com seu público e ampliar o volume de negócios. 

Baixe o material e se tiver qualquer dúvida, chama a gente pra conversar. 

Juliano Trentin

Cofundador da Gatilho, publicitário, pós-graduado em branding, torcedor da Chape e pai do Vicente.

Voltar aos posts

como está seu negócio no ambiente digital?

teste agora